“Esta vida vai passar rápido, não brigue com as pessoas, não critique tanto seu corpo, não reclame tanto, não perca o sono pelas contas, não deixe de beijar seus amores, não se preocupe tanto em deixar a casa impecável, deixe os cachorros mais por perto, não fique guardando as taças, use os talheres novos, não economize tanto seu perfume predileto, use-o para passear com você mesma, gaste seu tênis predileto, repita suas roupas prediletas, e daí? Se não é errado, por que não ser agora?

Quem conta hoje com mais de quatro décadas de vida com certeza vai lembrar dessa simpática dupla de personagens de desenho animado dos estúdios Hanna-Barbera.Para os mais novos, ou então para aqueles que não se recordam, eu ajudo:

Na sua 13° edição, a festa Champagne Sunset foi muito bacana. Em local privilegiado, no alto das falésias da praia do Mucugê em Arraial d’Ajuda, regada a muito espumante, gente bonita e iluminada pela lua cheia, a comemoração foi um sucesso.

RB: O que te fez escolher Arraial d´Ajuda?

Max: Na verdade Arraial d’Ajuda que me escolheu! Eu estava viajando com um amigo de mochila e íamos subir até Natal, mas depois de dois dias de ônibus, chegamos a Porto Seguro muito cansados. Algumas pessoas me falaram que Porto era bem melhor, que tinha nosso estilo e que havia uma ilha à frente chamada Arraial d’Ajuda: “Vão lá conhecer que vocês vão gostar!” Quando pisei em Mucugê pela primeira vez, me apaixonei por Arraial e isso que me fez escolher Arraial e sei que Arraial me escolheu. Fiquei viajando um mês, fui pra Itacaré, mas desisti e voltei e, com a ajuda de um amigo meu, consegui abrir o bar no Beco das Cores e foi assim que começou a história.

Imagine-se entrando em um táxi em uma grande cidade. E ao entrar nesse táxi, a hora é do “rush”: carros amontoados, buzinas, som alto, vendedores de quinquilharias... E a única coisa que lhe vem à cabeça é sair daquele caos aparentemente organizado. De tal forma que você pergunta ao motorista em tom irônico, como se almejasse uma conversa informal com alguém: - Como saímos desta confusão? E o motorista prestativo lhe responde com outra pergunta.

A própria respiração e o cheiro do mundo parecem mudar com o verão. Tudo é mais luminoso. O suor incomoda, mas a caminhada é sempre agraciada com luzes e sorrisos.

Sim, nós temos uma escritora em nossa cidade e muita gente nem sabe disso!!!

Bonita, jovem e loira: incrível, né? Estamos falando de Alda Andréia Therkovsky, capixaba de nascimento, mas baiana por adoção. Descendente de poloneses, Alda nasceu em Colatina/ ES, mas percorrendo caminhos que só Deus sabe explicar, sofria de dislexia. Isso lhe rendeu muitos puxões de orelha e apanhou de varinha na escola, porque naquela época ninguém sabia o que era isso.

Não meus amigos leitores, dessa vez a referência do título não é musical, muito embora vocês possam estar pensando no icônico hit dos anos 80 eternizado na voz de Marina Lima (naquela época só Marina).

A chegada da estação mais quente do ano é motivo de comemoração em todo mundo, talvez nós (brasileiros e portosegurenses) não tenhamos a verdadeira dimensão do que é esse fenômeno por vivermos em um país/cidade de clima temperado o ano inteiro.

O melhor investimento que podemos fazer para nós e os nossos filhos são os livros, pois além de nos dar uma base acerca da vida de conhecimento, cultura, vocabulário e informação é também uma terapia prazerosa.

A noite de ontem (8) foi especial para a Outcenter, empresa mineira de telecom, com quase 15 anos de mercado e que oferece acesso à Internet via rádio e via fibra óptica a 3 estados – Minas Gerais, São Paulo e Bahia – e há 2 anos atua em Porto Seguro.

Imagine o que é poder se apresentar ao cliente de qualquer parte do mundo concorrendo com grandes e pequenas redes de hotéis? Ou então fazer um tour virtual sem sair do lugar? Ou ainda com alguns movimentos conseguir ir ao site, fazer sua reserva e desfrutar de toda praticidade da tecnologia a partir de uma experiência única?

(sobre o brincar e o brinquedo)

É inegável a utilidade do brinquedo no processo de desenvolvimento e aprendizagem infantil, mas a cada dia percebo que mais que o brinquedo a criança precisa da brincadeira. E nesse ponto, importante se faz uma reflexão sobre a disponibilidade dos cuidadores para verdadeiramente brincarem com seus filhos.

Nos dias atuais é uma missão impossível afastar as crianças das paredes de concreto que nos cercam. Com tanta tecnologia à disposição, jogos, canais de TV especializados, celulares e computadores de última geração, brincadeiras restritas, sem falar o medo da violência, nós, pais, nos esquecemos de incentivar os filhos a brincar ao ar livre.

Há 12 anos quando escolhi viver em Vila de Santo André, abraçava causas e projetos em torno apenas do povoado. Passava correndo por Santa Cruz Cabrália, louca para pegar a balsa, cheguei a fazer uma camiseta com a inscrição Vila de Santo André – Bahia – Brasil.

© 2017 Revista Bacana. Todos os direitos reservados. Designed By Top Level