Na edição passada a Ana nos permitiu relembrar como 2015 foi um ano intenso, colocando à prova nossa força, coragem e predisposição para mudanças necessárias ao nosso aprimoramento constante. Não poderia ser diferente em se tratando de um ano VIII.

Você se identifica? Tornar-se cada vez mais mal humorada (o) e irritável. Reduzir sua vida social ou simplesmente “não querer mais ver pessoas”. Não querer lidar com atividades corriqueiras, como abrir correspondências, pagar contas ou retornar as chamadas telefônicas. Ficar exausta (o) com facilidade. Parar de fazer exercícios.

Patricia Grassano Padovani, 37 anos, nascida em São Paulo morou por 16 anos em Jaraguá do Sul/SC, e há 3 anos e 3 meses está em Arraial. Educadora física formada em Blumenau/ SC e fisiologista do exercício e especialista em grupos especiais.

No início do século XX a expectativa de vida ao nascer era de aproximadamente 40 anos. Naquele tempo o homem ou a mulher que atingissem essa idade provavelmente estariam se aproximando do final de suas vidas. Hoje, aos 40 anos eles são considerados jovens...

Você gosta do mundo em que vive? Você gosta da cultura que produzimos em nossa sociedade? Por que o mundo anda
tão conflitante com aquilo que gostaríamos de viver? Às vezes eu tenho a impressão de que o ser humano tem uma inclinação
à autodestruição. Dedique alguns dias à observação do comportamento da sociedade e você entenderá o que estou dizendo.
Provavelmente você irá perceber que é muito mais tentador e comum cultivarmos hábitos que nos degradam moral, psíquica e fisicamente. Parece que pouco se faz e investe na promoção das virtudes e harmonias sociais e pessoais.

Cultura é definida como um produto da inteligência humana; o paradoxal nesse aspecto é que nós, seres humanos, também somos produto de uma mesma cultura produzida por nós mes­mos. É como se fosse um sistema de retroalimentação. Vivemos em uma cultura na qual o que se valoriza são os objetivos alcan­çados, as metas ultrapassadas no campo da posse, dos títulos, dos destaques, do ser o melhor.

Mas não entenda o problema como sendo essa conduta; o problema é visar objetivos que não o satisfazem por um simples agrado de status social; o problema não é ultrapassar metas, mas ultrapassar os limites da ética; o problema não é ter, mas sim deixar que o que você tem te tenha; o problema não é buscar ser o melhor, mas tentar ser melhor que terceiros quando você deveria buscar ser melhor amanhã do que você é hoje. Mas o que esperar de um cidadão que foi for­jado ao longo de sua vida escolar e social sobre esses ditames? Competição, valorizar a fama e não a importância, estar sempre “atualizado” com o que há de “melhor” em termos materiais, almejar um título que o destaque na sociedade para que seja “melhor” do que o comum, uma formação educacional exclusiva­mente conteudista; ter um impacto na sociedade.

E nesse ponto abordo o quesito: Valores. Sabemos que o valor envolve singularidade, ou seja, o que é valioso para você pode não ser para mim e vice versa; no entanto há a necessidade de um denominador comum quando se trata de sociedade. Por mais que nossos valores possam diferir entre si, precisamos de valores comuns que nos possibilitem o convívio mútuo. Valores que promovem a ética e o progresso social devem ser prioriza­dos em detrimento de uma sociedade produtiva e eficiente. Até então parece tudo lógico; mas entre a teoria e a prática, nessa questão há um espaço abismal. Mas quais valores são esses de senso comum? Eu tenho uma teoria. Chamo-a de autoconscien­tização.

Perceba que por definição, ser “humano” incute a ideia de ser bom; portanto, se você nasce humano, ser bom é algo intrínseco à sua natureza. Como achar essa bondade inerente a essa condição? Conhecendo a si mesmo. Perceba que vivemos pautados no hedonismo da superficialidade, tudo agora é des­cartável; tudo! Ao aprofundar-se em si mesmo perceberemos o que realmente importa; a essência do que vem a ser humano. E esse não é um discurso piegas, é uma questão de lógica. Viver uma vida superficial e prazerosa não é viver uma vida profunda e feliz. Prazer é satisfação momentânea dos órgãos do sentido, MOMENTÂNEA; felicidade é um estado de espírito que vale por si só.

E uma das ferramentas para se conhecer é a meditação. Essa não está restrita ao campo do misticismo, pelo contrário, é um sistema muito utilizado e estudado pelas ciências humanas nas mais diversas áreas. Não se trata de ficar “zen”; mas de desen­volver sua inteligência emocional, suas capacidades cognitivas, de higienizar sua mente. Sabe o que acontece com seu corpo se você não higienizá-lo? Você adoece e diminui sua expecta­tiva de vida. Por que seria o contrário com sua mente cheia de entulhos, mágoas e ressentimentos? Imagine uma criança edu­cada sobre esses parâmetros? Por isso estou promovendo um curso de formação em prática e docência de meditação; e nesse curso desenvolveremos um projeto para inclusão da meditação, de uma forma laica, nas escolas de nossa cidade. Não entenda que por termos como cultura a corrupção, a superficialidade, a insatisfação e a revolta desde quinhentos anos atrás, sejam qua­dros imutáveis; muito pelo contrário; como disse, cultura é um produto da inteligência humana, portanto, dinâmica e mutável. Não gosta do mundo em que vive, comece a mudá-lo. Que saber como? Gostou da proposta do curso e do projeto de inclusão da meditação nas escolas? Quer aprender a meditar, desenvolver seu foco, aprender a lidar com seus sentimentos e emoções? Participe. Talvez não sejam as leis que precisam ser revistas e reformuladas; mas sim, os valores e princípios em que nossa sociedade está pautada.

A vida vem pedindo alegria, sorrisos e nada melhor do que sorrir sem medo de ser feliz!!!

Um bom profissional é tudo o que precisamos para cuidar desse patrimônio, e a Oral Center reuniu uma equipe bacana para atender você da melhor forma possível e arrancar o seu melhor sorriso. Bom, agora é só conferir!

Você escova os dentes do seu cão ou gato periodicamente? Assim como acontece conosco, humanos, nossos amigos pets também precisam de uma higiene bucal para evitar complicações e doenças. O tártaro em cães e gatos é algo que normalmente não é levado a sério pelos donos, mas que a longo prazo, se não for tratado, pode causar a perda precoce dos dentes e até mesmo doenças graves e infecções nos nossos animais.

O paradigma chinês de compreensão do mundo envolve um conceito dúbio de duas forças vitais distintas, mas não indiferentes, pelo contrário, essas são interdependentes e complementares. Refiro-me ao Yin e ao Yang; somadas essas duas energias promovem a energia vital que os chineses chamam de Qi, Platão chamava de Eros, Spinoza chamava de Potência de Agir, Freud chamava de Libido... Enfim, acredito que fui claro ao que me refiro.

É de pequeno que se ensinam limites. Seu bebê já é capaz de absorver as primeiras noções de certo e errado.

Você tem receio de impor limites ao seu filho pequeno? Muitos pais têm, pois acham que uma postura mais firme pode traumatizar a criança ou deixá-la magoada.

O Pilates já é uma prática conhecida mundialmente, devido os seus inúmeros benefícios.

Pensando em inovar e potencializar os seus efeitos, busco um diferencial que tem virado “febre” entre os praticantes.

Radiofrequência 

São radiações eletromagnéticas de alta frequência que aquecem a pele, a temperaturas em média de 40 graus, num processo de conversão de calor, realizando uma lesão tecidual cuja resposta é a produção de colágeno e tensão das fibras elásticas no local de aplicação, promovendo firmeza da pele percebida logo na primeira sessão. Em temperaturas mais amenas já estamos trabalhando o esvaziamento da célula de gordura (adipócito) e a eliminação de celulites.

O trauma é um dano emocional resultado de um acontecimento que causa dor e sofrimento psicológico ou físico. A experiência do trauma, pode ou não desenvolver o stress pós-traumático, dependendo da duração e da natureza do evento estressante.

A Medis é uma franquia que atua na venda de produtos Médicos e Odontológicos. A parte odontológica abrange as áreas de Radiologia, Dentística, Endodontia, Periodontia, Implantodontia, Ortodontia, além de Próteses, Profilaxia, Paramentação, Papelaria, Cirurgia e biossegurança.

Patricia-CatalePatrícia Catalã, pós graduada em Psicomotricidade, Psicopedagogia e Neuropsicologia, coordena a Educação Infantil no Instituto Mario Amalfi (IMA) e estuda sobre o conhecimento profissional de professores da educação Infantil com o intuito de compreender o que aconteceu quando o foco mudou do bem-estar para a Educação.

Meditar pode significar, entre muitas coisas, voltar para dentro de si, compensar o tempo que esquecemos de nós mesmos. Para compreender o que é a milenar prática da Meditação, quais suas vantagens e efeitos sobre o corpo físico, psique e mente humana, vamos analisar esta pequena palavra.

© 2017 Revista Bacana. Todos os direitos reservados. Designed By Top Level