DESAPEGAR

Levante a mão quem não trocaria as sacolas de compras do dia a dia por uma vida mais sossegada. É nessa onda que boa parte das mulheres vem caindo nas tentações do slow fashion, causa que defende a criação de peças atemporais, evitando assim o consumo desenfreado, a poluição e a mão de obra escrava.

Se por um lado, isso aproxima os marqueteiros de plantão, por outro, um movimento real de mulheres vem aderindo a um consumo mais consciente.

A qualidade se torna maior do que a quantidade e o meio ambiente agradece. Mas a ideia vai além das compras e ganha desdobramentos quando o assunto é reaproveitamento de peças já existentes no guarda-roupa.

Mas claro que nada acontece em um passo de mágica, é preciso fazer uma avaliação do que ainda tem utilidade, o que serve (ou não) e o que pode ser doado para poder desapegar.

A prática pode ser recorrente entre as mais organizadas, mas a questão vai além: tem a ver com felicidade. O pontapé inicial é selecionar um mix certeiro de roupas para uma vida mais equilibrada onde o menos é mais.

Por isso, comece dando uma olhada em seu armário e perceba que algumas peças despertam uma alegria imediata, enquanto outras trazem recordações de uma fase da vida que ficou para trás e que hoje não faz mais sentido.

Mudar é preciso, e se bater aquela dúvida, seja franca consigo mesma: será que não estou guardando isso apenas por apego ou memória? E sem essa desculpa de “um dia eu posso precisar”, então, se você não usa mais, é hora de se despedir.

A moda vai, o estilo fica. Agradeça por todos os momentos que você viveu com essas peças e abra espaço no seu armário para novos ares minimalistas. Com o que sobrou, separe as roupas em dois grupos - o que pode ser vendido e o que será doado.

Outra opção bacana é aproveitar o embalo e montar um bazar de troca com as amigas, em casa mesmo, regado a drinques e boas conversas. Assim, pode-se dar adeus aquela peça e resgatar algo que você sempre sonhou do guarda-roupa alheio.

Sem tantos excessos, a vida fica mais leve. Você vai começar a descobrir que não precisa daquela blusa da última coleção da sua loja favorita que a compra seria apenas por impulso. Da próxima vez que for às compras, faça esse exercício e repense sobre os seus hábitos de consumo: será que eles estão de acordo com o novo estilo de vida mais consciente?

 

© 2017 Revista Bacana. Todos os direitos reservados. Designed By Top Level